sábado, 7 de agosto de 2010

Made in England: Um clássico para abrir o apetite

A abertura habitual da época com a “FA Community Shield“ (versão inglesa da Supertaça) é, para muitos, pouco mais do que um amigável glorificado. No entanto, está em jogo o primeiro troféu da temporada, assim como a oportunidade de dar o primeiro golpe psicológico num adversário directo. Com Manchester United a defrontar o Chelsea, é também a última oportunidade que os treinadores têm para ver os seus jogadores em acção antes de partirem para o compromisso com a selecção a meio da semana - compromisso este que não é visto com bons olhos. Carlo Ancelotti já mencionou que sente que vários dos seus jogadores não estão com os níveis necessários de preparação, isto depois do esforço no Campeonato do Mundo e na pré-temporada. A demonstrá-lo estão três derrotas sofridas recentemente pelos blues.

Quanto ao Manchester, teve também um misto de vitórias e derrotas neste Verão mas, como factor positivo, os avançados parecem ter reencontrado o caminho para o fundo das redes. Dimitar Berbatov, o recém-chegado Javier Hernández e Michael Owen estiveram todos em boa forma e a marcar. A preocupação no ataque reside em Wayne Rooney, depois de uma participação no Mundial muito fraca e de alguns problemas fora do campo numa recente noitada em Manchester, o atacante inglês poderá estar a passar por uma crise de confiança. Apesar disso, Rooney à parte, sir Alex Ferguson estará contente com a boa forma dos restantes avançados, que mostram vontade de ajudar a equipa a triunfar.

Entre as duas equipas as ausências são muitas. No Manchester, Michael Carrick lesionou-se esta semana e falhará o início da temporada, juntando-se a Rio Ferdinand nos indisponíveis - o defesa ainda recupera da lesão no joelho que o afastou do Mundial. Anderson, que recentemente saiu ileso de um aparatoso acidente de viação em Portugal, está em vias de regressar mas não antes de domingo. Os irmãos Rafael e Fábio da Silva, a contas com uma intoxicação alimentar, estão em dúvida. Owen Hargreaves e Gabriel Obertan também estão fora de acção. No Chelsea, Ancelotti deverá manter o onze inicial do último amigável com apenas uma alteração: Hilário, à partida, jogará no lugar então ocupado por Ross Turnbull. Didier Drogba deverá ficar no banco, enquanto Petr Cech, Alex e Bosingwa, todos lesionados, ficam fora das contas.

O relvado do estádio de Wembley é também motivo para apreensão. Muito criticado no final da última época, foi substituído, mas parece ainda não estar ao nível desejado. De resto, Michael Owen espera não ter mesmo azar da última vez que o pisou, onde se lesionou e ficou afastado por um tempo considerável. As apostas no vencedor já estão ao rubro com as previsões a não estabelecerem um vencedor antecipado. Aquecem-se assim os motores para o arranque da Premier League no fim-de-semana seguinte.

MADE IN ENGLAND é um espaço quinzenal, assinado por Armando Vieira, que incide sobre o futebol inglês e voltará a marcar presença no FUTEBOLÊS

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO