segunda-feira, 5 de abril de 2010

O triângulo Villas Boas, Sporting e FC Porto

O Sporting anunciou que André Villas Boas não será o seu treinador para a próxima temporada. Foi isso que os leões comunicaram, ontem, à Comissão de Mercado de Valores Imobiliários, rompendo assim o pré-acordo com o actual treinador da Académica. Os últimos tempos, atingindo o ponto culminante quando Villas Boas definiu violentamente as notícias que davam conta da (quase) ligação ao Sporting como sendo palhaçada, já tinham deixado bem patente de que poderia haver um volte-face e não ser o jovem treinador da Académica, de apenas trinta e dois anos, a substituir Carlos Carvalhal no comando da equipa leonina. Contudo, também o estado de graça inicial de André Villas Boas está mais esbatido e, apesar da melhoria registada quando entrou, o treinador ainda não conseguiu alcançar a manutenção pela Académica.

Para além da quebra de resultados que os estudantes sofreram, algo que não se pode dissociar da imagem de André Villas Boas, voltam a circular, tal como acontecera logo após o jogo no Dragão que marcou a estreia do ex-adjunto de José Mourinho como treinador principal, rumores de que poderá suceder a Jesualdo Ferreira no comando do FC Porto. Causa alguma estranheza, contudo, que um treinador inexperiente, apenas com alguns meses de carreira, embora tenha a seu favor o facto de ter estagiado com os melhores, casos de Mourinho e Bobby Robson, seja forte opção para dois grandes clubes nacionais que irão, com certeza, mudar de treinador no fim da época: o Sporting já oficializou o fim da ligação com Carlos Carvalhal, enquanto Pinto da Costa manteve o tabu sobre a continuidade de Jesualdo ao leme dos dragões.

É inquestionável: André Villas Boas poder-se-á tornar num treinador de topo mundial. Tem tudo para o fazer. Para já, porém, ainda não o é. Deu provas de conhecimentos, colocando a Académica a praticar um futebol positivo que levou a equipa a abandonar os lugares de descida, mas, aos poucos, os estudantes perderam algum do fulgor que haviam ganho com a troca de treinador, após a saída de Rogério Gonçalves. Por isso mesmo, Villas Boas parece estar ainda algo verde para ter completas capacidades para assumir o comando de uma equipa (quer FC Porto, quer Sporting) que necessita de apagar a má imagem deixada n
esta temporada e partir para um projecto sólido, estável e, sobretudo, vencedor. Será sempre arriscado. Poderá dar certo, é verdade que sim, mas também poderá revelar-se aposta precipitada.

1 Comentário:

Jornal Só Desporto disse...

Já chateia sempre o mesmo tipo de Notícia Villas Boas no Sporting mas afinal o Sporting já disse que não o quer.

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO