quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Taça de Portugal: Emoções fortes

QUINTA ELIMINATÓRIA


Um estranho hábito de apenas despertar perante as adversidades. Este FC Porto tem sido assim, só empurra e domina o adversário depois de se sentir ameaçado. Após doze minutos enrolados, o Belenenses chegou ao golo - excelente visão de Lima - mas, somente um minuto volvido, Falcao fez com que tudo regressasse à fórmula inicial. Passados os golos, abanões na monotonia, tudo se manteve como até então. Apenas com duas mudanças, além de Tomás Costa na vaga de Fernando, com Beto e Valeri nos lugares de Helton e Belluschi, o futebol portista foi pouco incisivo junto à baliza contrária. Melhorou na segunda parte, certo, mas este dragão não está bem. Coloca-se demasiado à mercê dos rivais. Em cima do final, super-Lima voltou a deixar os portistas em sobressalto, contudo Rodríguez ainda teve tempo para empatar e levar o jogo para um tempo extra. E grandes penalidades, depois. Uma longa-metragem de quinze penaltis para cada lado, dois heróis nas balizas, Beto superior a Bruno Vale, vitória do FC Porto. A melhor parte do jogo, claro.

Almas gémeas, o início de jogo em Alvalade podia ser uma verdadeira fotocópia do que acontecera no Restelo. Doze minutos pouco clarividentes, golo do Sporting, num penalty de Matías Fernández, no décimo terceiro. A equipa mais forte em vantagem, nada de estranho. Mais dois minutos, empate do Mafra - golo de Zhang, euforia na equipa de Filipe Moreira. Semelhanças evidentes entre os dois jogos. Após o empate, mesmo não sendo muito pressionante, bem longe das exibições agradáveis das últimas partidas - embora apenas Polga, Matías e Vukcevic tenham entrado para os lugares de Tonel, Moutinho e Izmailov -, o Sporting, como equipa mais forte, conseguiu chegar aos golos. De forma natural, aproveitando fragilidades da equipa do Mafra, alcançou o 4-1 e Carvalhal aproveitou para ensaiar novas soluções. O final foi verdadeiramente inesperado: Zhang voltou a marcar por duas vezes, um com uma falha tremenda de Rui Patrício, o Sporting descontraiu em demasia.

Líder incontestável do campeonato, afastado da Taça da Liga, com esperanças legítimas de chegar longe na Taça de Portugal. Essa é, aliás, uma candidatura que nada custará a assumir aos responsáveis bracarenses: a ambição de estar no Jamor foi reforçada no início de temporada e, obviamente, não tem o mesmo peso nem a mesma pressão do campeonato. Em Freamunde, perante uma equipa do segundo escalão, sabedor das dificuldades que poderia ter pela frente, o Sp.Braga tremeu mas, no fim, acabou por imperar a lei do mais forte - vitória por 1-3. Tal como com a Naval, que, a custo, conseguiu ultrapassar o Aliados de Lordelo (0-1), equipa secundária que havia vencido, na ronda anterior, o Leixões.

Num duelo de primodivisionários, tal como nos quartos-de-final da temporada anterior, o Paços de Ferreira voltou a ser mais forte e alcançou a passagem ao eliminar, na Madeira, o Nacional (1-2). Na outra partida entre equipas do primeiro escalão do futebol profissional, Rio Ave e Vitória de Guimarães mantiveram a emoção até à decisão por grandes penalidades: na lotaria, os vila-condenses foram mais eficazes, sustentados por duas defesas de Mora, e confirmaram a presença nos quartos-de-final. Resta referir ainda que também o Pinhalnovense, após derrotar o Camacha, por 1-0, está na próxima fase da Taça de Portugal. Chaves e Beira-Mar jogarão ainda, no próximo domingo, a última partida da quinta eliminatória.

2 Comentários:

Balakov10 disse...

O FCP este ano está fraquíssimo e só com ajudas acabará acima do 3º lugar.

O Sporting após o 4-1 foi uma vergonha que não dignificou o futebol.

http://outra--visao.blogspot.com/

Jornal Só Desporto disse...

Bom Artigo.

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO