quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Standard Liège-Sp.Braga, 1-1: Agora sim, o xeque -mate!

Xeque-mate! O Sp.Braga está nos oitavos de final da Taça UEFA. O xeque já tinha sido dado na primeira eliminatória, em Portugal, com uma vitória por 3-0. De qualquer forma, existem eliminatórias viradas de um momento para o outro. Não aconteceu isso. Em Liège, a equipa de Jorge Jesus teve de fazer um jogo de sacrifício para segurar os ímpetos do Standard. Conseguiu-o, com sucesso.

Sabia-se de antemão que mesmo com a vantagem de três golos, o Sp.Braga não teria facilidade alguma. O apoio fanático, frenético dos adeptos belgas transformava o ambiente e deixava um jogo ainda mais complicado. A equipa de Jorge Jesus teve de sofrer quase até ao fim. O golo de Mbokani, aos 79 minutos, serviu para alimentar as esperanças do Standard. Mas já era tarde e a vantagem no jogo também durou pouco. Depois veio um golo fantástico de Luis Aguiar. Aí sim, a quatro minutos do final, acabaram as dúvidas que pudessem haver sobre a passagem do Sp.Braga. Aguiar ainda teve mais uma oportunidade para desempatar o jogo mas Espinoza foi enorme na defesa. Acabou empatado.

Antes disso, o Sp.Braga teve de passar por inúmeros obstáculos. O Standard entrou forte, cheio de ganas para chegar ao golo. De qualquer forma não durou muito pois a equipa arsenalista preencheu bem os espaços, juntou as linhas e uniu-se na defesa da baliza de Eduardo. Foi uma equipa personalizada, unida e, sobretudo, com grandes doses de sofrimento. Em termos atacantes não criou muitos lances de perigo, é verdade, mas o que interessava mesmo era não sofrer golos e segurar a vantagem trazida da primeira mão. Os belgas, por seu lado, usavam e abusavam do jogo directo; aí também foi importante o papel do guarda-redes Eduardo e o seu jogo fora da baliza assim como dos centrais Leone e Stélvio (esteve bem nessa nova posição). A primeira parte resumiu-se a isso, com imensas bolas bombeadas para a área sem que em nenhum caso tenha surgido um lance de golo iminente.

STANDARD CARREGA, BRAGA AGUENTA

Para a segunda parte, Laszlo Böloni decidiu mudar um pouco a estratégia e trocar o futebol directo por jogadas de velocidade, sobretudo, pelos flancos. E resultou, pelo menos aconteceram reais oportunidades de golo. Primeiro, aos 51, Mbokani servido por De Camargo não conseguiu acertar na baliza; oito minutos volvidos, foi a vez de Goreux acertar no poste; por fim, o mesmo Mbokani, novamente isolado por Camargo, voltou a perder uma grande oportunidade de golo depois de uma gaffe de Stélvio. Esta era a melhor fase do Standard que estava por cima. Respondeu o Sp.Braga por João Pereira, com um remate que embateu na barra da baliza dos belgas, num lance que serviu para a equipa portuguesa respirar um pouco e soltar-se da pressão. Estavam decorridos 69 minutos e um golo do Liège poderia ainda agitar a eliminatória.

Houve, então, mais uma oportunidade para o Standard. A quinze minutos do final, De Camargo surgiu isolado mas Eduardo foi melhor e manteve o nulo. Contudo, foi quatro minutos depois disso que surgiu o tal golo de Mbokani, o golo do Standard Liège. Insuficiente por tudo aquilo que já foi escrito. E também pelo golaço de Luis Aguiar. Ficou-se a rir o Sp.Braga. Agora segue-se o PSG.

Seja o primeiro a comentar

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO