domingo, 5 de setembro de 2010

Caso Queiroz: Haja decência, demitam-se!

ANÁLISE DE BERNARDINO BARROS AO CASO QUEIROZ

Tenho tido alguma relutância em escrever sobre um tema que é diariamente escalpelizado na informação e contra-informação deste país. Esperava que o bom senso imperasse e os intervenientes chegassem a uma conclusão, estão a fazer uma triste figura. Por mim, há muito que lhes tracei o azimute: demitam-se e livrem-nos de assistir a um circo com tão fracos palhaços.

Facto 1 - Carlos Queiroz usa impropérios dignos de um carroceiro, insurgindo-se contra a realização de um controlo anti-doping em horário que considera impróprio - oito da manhã. Isto ocorreu a 16 de Maio de 2010, na Covilhã, tendo a ordem para se proceder ao inquérito a este caso sido deliberado pelo Despacho nº 55/SEJD/2010 datado de 10 de Julho de 2010 (véspera da final do Campeonato do Mundo).
Perguntas: Dada a natureza grave dos factos - insultos ao presidente da Autoridade Antidopagem de Portuhal (ADoP) -, que foram mencionados no relatório dos médicos intervenientes no controlo, por que foi o caso abafado até à conclusão da prestação portuguesa no Mundial 2010? Por que foi assinado e datado despacho a um sábado (!!!) pelo Secretário de Estado do Desporto, Laurentino Dias, cinquenta e cinco dias depois dos incidentes? Se Portugal tivesse prestação mais positiva no Mundial haveria inquérito, ou teríamos mais um processo "abafado a bem da Nação"?

Facto 2 - No relatório elaborado pelos médicos da ADoP foi registado o insulto do seleccionador, descrito como "perturbador", mas não impediu, como consta também do relatório, a prossecução dos trabalhos de recolha das análises, tendo, inclusive, sido escrito que tudo decorreu dentro da normalidade e sem a presença do seleccionador. No entanto, aconteceu um problema, surgindo uma desconformidade, pois o médico João Marques não registou a densidade urinária da amostra A/B413429 no formulário do controlo antidopagem.
Perguntas: Se no relatório nada consta do impedimento do controlo ou de interferência directa do seleccionador na recolha das análises, por que carga de água se liga a "desconformidade" do médico João Marques ao vernáculo de Carlos Queiroz? Que levou João Marques a olvidar uma obrigação processual na recolha das análises? Por que errou numa "densidade urinária" quando foram realizadas sete análises? Será que o meio para justificar o lapso, que daria uma "não conformidade no currículo do Dr. João Marques", foi um novo relatório onde a perturbação pelo insulto ao Dr. Luís Horta (ou ao seu familiar), foi o motivo que levou à não conformidade?

Facto 3 - A ADoP, não satisfeita com o castigo dado pelo Conselho de Disciplina (apenas e só foi julgado pelo CD da Federação Portuguesa de Futebol o insulto do seleccionador e nunca a "perturbação de um controlo" que nunca foi registado no relatório dos médicos), decidiu avocar o processo e castigou Carlos Queiroz com seis meses de suspensão, como se lê no seu relatório de 30 de Agosto, aqui transcrito.
Perguntas - A lei permite que a ADoP possa avocar o processo, mas será curial julgar em causa própria? Quando no primeiro relatório nada consta da "perturbação ao controlo" por parte do seleccionador (relatório assinado pelo médico António Batista) e um mês e meio depois, em relatório pedido pelo Instituto do Desporto de Portugal (a 5 de Julho) aparece o dito por não dito, ou seja que o insulto do seleccionador foi o factor directo e decisivo na não conformidade do médico João Marques, será isso "legal e deontologicamente" correcto?

Conclusão: Carlos Queiroz foi malcriado e insolente, utilizando linguagem de carroceiro. Carlos Queiroz já tinha antecedentes de má conduta e de insultos. Carlos Queiroz é competente no planeamento do seu trabalho mas é um mau técnico de banco. Foi um erro a sua contratação por quatro anos (termina em 2012) quando esta Direcção federativa só tinha mais dois anos de mandato (termina em 2011). A prestação da selecção portuguesa tem sido sofrível, com um apuramento em cima da meta, uma prestação mediana no Mundial (uma só vitória frente aos pobres norte-coreanos) e exibições deploráveis. Se a isto juntarmos o que se tem observado nos últimos dias - jogadores a desistirem da selecção, adeptos dissociados do fenómeno selecção e patrões (Federação) a colocarem processos disciplinares ao empregado (seleccionador) - está decretado o fim da linha para Carlos Queiroz. Mas não só, pois o ruidoso silêncio de Gilberto Madail também é comprometedor, assim como a intromissão persecutória do Secretário de Estado do Desporto. Um, Madaíl, acha que o calado é o melhor, o outro, Laurentino, tem a vocação de não se calar quando vê um microfone.

Queiroz deve ser demitido porque não serve os interesses desportivos da Federação? Seja, mas façam-no de modo sério, com recurso ao factor "justa causa" se o houver, através de um acordo financeiro ou então pela indemnização total do seu contrato. Não arranjem "golpes palacianos" ou atitudes dignas da era da Inquisição para se livrarem dele. Já agora podiam fazer um favor algumas figurinhas deste processo: aproveitavam o embalo e saiam também.

Viver na paz podre interessa a quem? Apenas e só a quem se quer perpetuar no poder a qualquer custo e acreditem que há alguns que são piores que lapas!...

4 Comentários:

Força Azul e Branca disse...

Amigo Boa tarde, criei hoje um blogue sobre o FCP e gostaria de saber se poderiamos fazer troca de links? e tornar-nos seguidores do blogue um do outro.
Por favor responda no meu.
Obrigado e continuação do excelente trabalho que tem vindo a fazer até agora!

http://forcaazulebrancaa.blogspot.com/

vidairada disse...

isto tambem deve ajudar a entender muita coisa...!
http://www.rtp.pt/noticias/?t=Antonio-Simoes-Homem-que-aniquilou-carreira-de-Torres-esteve-ontem-no-banco-de-Portugal.rtp&headline=20&visual=9&article=372698&tm=44

Anónimo disse...

Queróz, o incompetente'

Carlos Queróz, ao ofender Soares Franco, mostrou aqueles que ainda o tinham como um Sr. o baixo nível que sempre lhe foi apanágio' Quando tinha tudo para continuar um trabalho meritório nas selecções jovens, armou uma escusada guerra com as pessoas que, por cunhas, o haviam levado para a Federação Portuguesa de Futebol, mordendo as mãos que o haviam alimentado e, feito dele um tipo famoso' Queiróz em vez de agradecer aos que o tiraram do anonimato, tentou passar-lhes por cima e quiz ser ele a dar ordens ao patronato, (F.P.F.)'

Embora se lhe reconheça algum mérito nos canpeonatos ganhos na Arábia Saudita e em Portugal, Queiróz teve também a sorte de apanhar uma fornada de craques da bola, muitos deles mais tarde grandes estrelas mundiais. Fica a dúvida eterna se o mérito foi mais de Queróz ou da conjuntura
extremamente favorável e, se outro treinador qualquer, com o mínimo de cabeça, não tería feito o mesmo? Queiróz teve o "azar" de deixar que a fama lhe tolda-se o cérebro, pensando ser dono da Federação e do próprio país' Estão registados os insultos e as ofensas, gravíssimas, que vomitou nessa infeliz altura, levando a Federação a demiti-lo de selecionador e de todos os cargos federativos' Ainda hoje em vez de reconhecer os erros, vomita impropérios contra a federação, embora já não estando lá ninguém daquela época' Por aqui se vê quem é na realidade o fulano vaidoso que se julga o que nunca foi e nunca será: competente'

Todo o percurso de Queróz está cheio de peripécias e despedimentos vergonhosos, até que Ferguson num gesto de pura caridade, o levou para o Manchester' Nem vale a pena entrar nos detalhes, e péssimo comportamento com birras á mistura, no Real Madrid onde teve tudo para ser feliz. Mais
uma vez a incompetência se sobrepôs a tudo o resto, a pontos de ser ainda hoje lembrado como o pior treinador que por lá passou'

Voltemos ao principal. Queiróz tem como todos nós direito á livre expressão' Isso não deixa dúvidas a ninguém que tenha o mínimo de decência e dignidade, mas, ao serem ditas na véspera de um jogo entre duas formações e da forma jocosa como se expremiu perdeu todo o respeito por Miguel Veloso, por Soares Franco como representante máximo do adversário, e, por si próprio' Em vez de se retratar, aumentou o baixo nível das ofensas e cobardes insinuações contra um homem que sabe estar na vida e no desporto como poucos' Não lhe chegando ainda, tenta agora arrastar para a guerra os dois clubes que sempre mantiveram óptimas e saudáveis relações' Soares Franco não precisa do Sporting para sobreviver' Queiróz vive da sabujíce e da caridade de quem ainda o não conhece' Um dia, muito em breve, os ingleses saberão quem é Queiróz, Nesse dia não vai ser apenas " persona non grata", vai ficar com a cabeça a prémio' Querem apostar?

06-12-2007.

Isto foi publicado no meu blog e 2007. Mantenho, sobre Queiróz, a mesma opinião' Queiróz continúa mal-educado, vaidoso, arrogante e incompetente'.

JornalSóDesporto disse...

Não deve ser só Queiroz a sair.
É uma limpeza geral e alertar os clubes para apostarem na formação em vez de virem para cá jogadores de 2 ou 3 categoria.
E mais convocar o jogador pela forma física e sem ligar ao clube que representa.

Bom artigo Caro Bernardino Barros.

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO