terça-feira, 22 de junho de 2010

Minha África: Entornaram o frasco do ketchup

Pronto, está feito o que todos queriam: vencer a Coreia. Mas os navegantes foram mais longe e golearam, sete golos sem resposta, o que torna este resultado na maior goleada deste campeonato do Mundo e coloca Portugal nas bocas do mundo futebolístico. Claro que se pode falar da fragilidade da equipa coreana, das mudanças feitas por Carlos Queiroz, não só a nível de jogadores, mas tácticas também, da generosidade de alguns jogadores e outros factores que cada um pode acrescentar a seu bel-prazer. Essencial foi que Portugal deu a resposta no momento certo e a coisa foi de tal modo que, parafraseando Cristiano Ronaldo, os portugueses entornaram o frasco do ketchup.

Factores decisivos para a metamorfose portuguesa: a disponibilidade de Ricardo Carvalho para sair de trás a construir, criando desequilíbrios; o triângulo do meio-campo invertido em relação ao último jogo, com Pedro Mendes na contenção e Raul Meireles e Tiago na construção; a menor mobilidade do ponta-de-lança, Hugo Almeida, mas uma maior apetência para abrir espaços para os médios (exemplo do primeiro golo); a excelente exibição de Fábio Coentrão na construção do jogo ofensivo e sobretudo a maior disponibilidade dos jogadores portugueses para o jogo ofensivo, correndo mais que o adversário e trocando a bola com maior segurança e mais ligeireza. Excelentes exibições de Coentrão, Raúl Meireles e Tiago.

Balanço global

O Mundial chegou a meio, estão disputados trinta e dois dos sessenta e quatro jogos totais. Tal como aqui tínhamos previsto, dada a necessidade imperiosa de vencer, na segunda jornada marcaram-se mais golos (quarenta e dois) que na primeira jornada (vinte e cinco). Na terceira e derradeira jornada de grupos, que hoje começa, podem-se marcar mais golos, embora haja jogos que são para cumprir calendário, mas outros há que são decisivos e há que os jogar para ganhar ou...sair pela porta das traseiras sem honra nem glória. Uruguai, Chile, Holanda e Portugal são as equipas que ainda não sofreram golos.

Chega-se à última jornada e só Brasil e Holanda têm a passagem garantida aos oitavos-de-final e no lado oposto só Camarões e Coreia do Norte disseram adeus ao Mundial. Outro dado que vem corroborar o que ao longo destes dias fomos escrevendo, que este pode ser o Mundial das equipas sul-americanas, senão vejamos: além do Brasil, que já garantiu o apuramento, Argentina, Paraguai, Uruguai e Chile ainda não perderam qualquer jogo. Todos estão em posição privilegiada para garantir a passagem, com o contingente sul-americano a somar oito vitórias e dois empates até ao momento.

No lado africano está a desilusão - com excepção do Gana que lidera o grupo D - para os Camarões, já eliminado, e para a última posição ocupada por África do Sul, Nigéria e Argélia nos respectivos grupos. Para não falar da Costa do Marfim que tem a missão bem dificultada depois da goleada lusa. No lado europeu, uma equipa já apurada, Holanda, com muitas desilusões noutras selecções. Desde logo a França, a maior decepção da prova, não só pelo que não joga mas sobretudo pela péssima imagem que tem transmitido para todo o mundo com expulsões, demissões, boicotes a treinos, etc. A campeã em título, Itália, ainda não venceu e tem a sua missão dificultada para a última jornada, onde é imperioso vencer a Eslováquia. O mesmo se aplica à candidata Inglaterra (também ainda não venceu) e só uma vitória sobre a Eslovénia a salva do adeus ao Mundial.

Curiosamente, a Alemanha, que começou e bem o Mundial com uma vitória por quatro a zero, claudicou no jogo com a Sérvia e vai para esta última jornada com a obrigação de vencer o Gana ou, no mínimo, fazer o mesmo resultado que a Sérvia, o mesmo acontecendo com a super-favorita Espanha que, depois de perder o primeiro jogo, está obrigada a ganhar o último jogo frente ao Chile e mesmo assim esperar pelos factores de desempate.

Das equipas europeias o destaque, pela positiva, vai para nas selecções da Eslovénia, Suíça e Grécia. Não há margem para o erro para muitas equipas, por isso, de hoje até sexta-feira, vamos entrar nas jornadas do tudo ou nada. Até já.

2 Comentários:

A Minha Análise disse...

parabéns pelo blog

passem também pelo meu

http://sportingaodetalhe.blogspot.com/

JornalSóDesporto disse...

Penso que se Portugal tivesse apresentado este equipa tinha ganho à Costa do Marfim.

Quanto ao jogo em análise foi uma exibição de sonho comprovando que trabalhando e querendo tudo se consegue veremos frente ao Brasil.

Grande Artigo.

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO