domingo, 21 de março de 2010

Taça da Liga: Benfica-FC Porto (antevisão)

O clássico de Dezembro marcou ambos: o Benfica deu uma prova de força e ganhou ainda maior fulgor, o FC Porto teve uma recaída na sua recuperação e nunca mais dispôs de recursos para afastar esse jogo de pairar na sua mente. Foi um momento decisivo da temporada. Agora, quatro meses depois, estão de novo frente-a-frente. Para uma final. A discussão de um título é sempre importante, mesmo não sendo o objectivo prioritário da época, aumenta a relevância do jogo por ser entre dois rivais, inimigos para sempre numa disputa sem tréguas. É curioso que seja ao FC Porto, talvez o rosto mais visível do desagrado pela criação desta Taça da Liga, que a vitória é mais importante. Por já estarem arredados da conquista do campeonato, o seu principal propósito, mas também por ter uma oportunidade única de igualar o Benfica nos títulos conquistados. Em caso de vitória azul, serão sessenta e seis para cada lado.

Contrariamente ao que acontecera em Dezembro, o FC Porto chega ao Algarve desfalcado. Jesualdo Ferreira há muito não conta com Ernesto Farías, perdeu Mariano González no último jogo, com a Académica, e soube que não mais contará com Silvestre Varela. O extremo português, um dos jogadores mais influentes nesta época dos dragões, fracturou o perónio e irá estar afastado dos relvados durante vários meses (tem o Mundial em risco). Problemas de sobra para o treinador portista, órfão de extremos, apenas com a compensação de Cristian Rodríguez estar a regressar à sua forma habitual, moralizado com o golo decisivo marcado em Coimbra. Assim, o professor poderá optar por um 4x4x2, juntando Belluschi ao sector médio - embora o argentino possa jogar como extremo. E há o regresso de Fernando. Essa é a melhor notícia para Jesualdo: a equipa sentiu, durante o período de ausência do brasileiro, um profundo abalo.

O Benfica está em estado de graça. Lidera o campeonato português, a sua candidatura ao título é mais forte do que nunca nos últimos anos, e está motivadíssimo pela vitória ante o Marselha, na última quinta-feira, que lhe garantiu o acesso aos quartos-de-final da Liga Europa. Passaram, porém, apenas setenta e duas horas desde esse triunfo categórico e tremendamente desgastante no Vélodrome. Junta-se a isso a contagem descrescente para um jogo de elevada importância, decisivo até, com o Sp.Braga no próximo sábado. Já se sabe que o objectivo dos encarnados é a conquista do campeonato e, por isso, a equipa terá de estar na máxima força para o duelo com os minhotos, uma concorrência incómoda pelo primeiro lugar. A Taça da Liga surge, portanto, no meio das duas provas mais importantes. O que fará Jorge Jesus? Fará descansar os jogadores que têm mais jogos e são fundamentais na manobra da equipa?

O mais crível é que o treinador benfiquista promova alguma rotatividade na equipa. Não quer isso dizer que o Benfica fique mais fraco, pois já foram dadas provas de que existem no plantel alternativas válidas. A baliza, à semelhança do que acontecerá no FC Porto, onde Nuno irá ser titular, deverá ser entregue a Júlio César, o guardião extra-campeonato. Também jogadores como Maxi Pereira, Javi García ou a dupla ofensiva Cardozo-Saviola poderão ceder os seus lugares, tendo em vista o calendário denso que o Benfica terá pela frente. Alan Kardec ganhou uma confiança descomunal com o golo vital marcado em Marselha e Jorge Jesus poderá canalizar essa motivação do brasileiro para o jogo com o FC Porto. Dúvidas para tirar a partir das 19h15. Jesus vive o melhor período da sua carreira e procura a primeira conquista, Jesualdo quererá sair do comando do FC Porto com todos os troféus internos no currículo. É um duelo à parte.

EQUIPAS PROVÁVEIS

BENFICA: Júlio César; Rúben Amorim, Luisão, David Luiz e Fábio Coentrão; Airton, Ramires, Di María e Aimar; Éder Luís e Alan Kardec

FC PORTO: Nuno; Fucile, Bruno Alves, Rolando e Álvaro Pereira; Fernando, Raúl Meireles, Rúben Micael e Belluschi; Rodríguez e Falcao

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO