quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Os planteis após o fecho do mercado

O mercado encerrou anteontem, os planteis estão completos, não há mais mudanças. Fossem ou não os desejados dos treinadores, são os que podem ter e é assim que atacarão a nova época. Olhando para os três grandes de Portugal, o Benfica foi a equipa que mais milhões investiu no reforço do plantel. Também o FC Porto, procurando colmatar saídas importantes, teve de abrir os cordões à bolsa. Bem diferente é o caso do Sporting. As diferenças de orçamento entre os três, são bem conhecidas de todos.

Aliás, os responsáveis leoninos já afirmaram que este é o plantel possível. Não é certamente o que mais desejariam mas é o que as condições do clube permitem. Matías Fernández, Filipe Caicedo e Miguel Angulo (jogador de 32 anos, experiente, para contrastar com a muita juventude existente) foram os reforços que chegaram a Alvalade, de onde, para além das dispensas de Paulo Bento, apenas saiu Fábio Rochemback. Carlos Saleiro, avançado formado no clube esteve no Vitória de Setúbal, e também regressou à providência. No ataque, agora orfão de Derlei, ainda não está encontrado o parceiro certo para Liedson. Na defesa, sobretudo nas laterais, reside o maior problema de Paulo Bento.

O Benfica, neste segundo mandato de Luís Filipe Vieira na presidência, apostou tudo no sucesso desportivo. Para isso, o clube foi obrigado a um esforço financeiro: manteve os principais jogadores que já estavam no clube e investiu mais de vinte milhões no reforço do plantel. Katsouranis (vendido ao Panathinaikos), Reyes (regressou ao Atlético de Madrid, após o empréstimo) e Yebda (emprestado ao Portsmouth) foram as saídas registadas. Quanto a reforços: Júlio César, Shaffer, Patric - entretanto já emprestado ao Cruzeiro! -, Javí Garcia, Ramires, César Peixoto, Keirrison, Weldon e Saviola chegaram pela primeira vez à Luz, ao passo que Luís Filipe regressou após a lesão de Maxi Pereira. O ataque é, de longe, o sector mais deste Benfica pela excelente relação quantidade/qualidade existente. Na baliza têm surgido alguns contra-tempos e, mesmo havendo três bons guarda-redes, nenhum deles é de classe mundial.

O FC Porto viu-se privado, desde logo, de Lucho González e Lisandro López, dois jogadores fundamentais nas últimas conquistas dos portistas. Seguiu-se a partida de Cissokho, um lateral chegado em Janeiro, para o Lyon. Três titulares que saíram, três reforços a chegar: Belluschi, Falcao e Álvaro Pereira, por esta ordem, foram os substitutos que os responsáveis azuis-e-brancos encontraram. A estes, para completar o lote de novos jogadores, juntam-se Beto, Maicon, Nuno André Coelho, Maicon, Valeri, Prediger, Varela e Orlando Sá. Deste grupeto, apenas Silvestre Varela, extremo vindo do Estrela, tem sido utilizado por Jesualdo Ferreira neste início de época - em bom plano, acrescente-se. O ataque não terá problemas pois Falcao tem-se mostrado um goleador e ainda há Hulk e Rodríguez para as alas. Até agora, mais preocupante, o meio-campo ainda não mostra a capacidade e a rapidez do passado.

1 Comentário:

Paulo Morais disse...

Bom blog.
Parabéns

Adicionei aos meus blogs de referência.

Abraço
www.misterdefutebol.blogspot.com

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO