domingo, 20 de setembro de 2009

O derrotado e o vencedor

Desde que foi vencido na Figueira da Foz, em Novembro último, o FC Porto somou vinte e sete jogos sem sofrer qualquer derrota no campeonato português. É um registo extraordinário, enaltecido por onze vitórias consecutivas fora de casa. Ou melhor, foi: até ontem, em Braga. Passaram-se, então, dez meses entre ambas as partidas terminadas com derrotas. Há, para além do resultado final, mais algumas parecenças. Em qualquer uma deles, os golos resultaram de lances algo estranhos: na Figueira, Daniel Cruz marcou da linha de fundo, ou seja, um ângulo quase impossível para haver sucesso; ontem, Alan fez um golaço, é certo, mas com uma grande dose de sorte à mistura. Foram tentativas falhadas de cruzar que resultaram em golo. Mas trata-se, acima de tudo, de uma derrota do FC Porto ou de vitórias de outros? Olhemos, então, para ambos.

Há em futebol aqueles jogos em que nada parece correr bem. Enfim, nada tem efeito. Ontem, ao FC Porto, aconteceu precisamente isso. Tratou-se de uma derrota colectiva, isto é, não há um jogador que a assuma sozinho. Neste tipo de casos, visa-se o treinador. A verdade é que Jesualdo Ferreira errou, desde logo, na construção da equipa titular. Se a presença de Freddy Guarín se justificou em Londres, frente ao Chelsea, pois era necessária uma maior contenção, em Braga não teve o mesmo sentido. À partida, para uma grande equipa teoricamente mais forte, não interessa fazer um jogo de contenção mas sim superiorizar-se ao adversário. Com o colombiano Guarín, a equipa ganha força física mas perde imaginação. Não que Belluschi tenha estado em grande destaque até aqui mas é bem mais criativo. Também Hulk esteve estranhamente afastado do jogo e os piques de Rodríguez não resultaram como esperado.

Não se pretende com isto dizer que o FC Porto atravessa um mau momento. Todas as equipas têm jogos menos conseguidos e foi, quanto a mim, exactamente isso que sucedeu, até porque a exibição com o Leixões e mesmo a segunda metade com o Chelsea deixaram excelentes indicações. Resta, claro está, aos jogadores mostrar que não passou de um percalço. Repare, leitor, que olhamos para este jogo como uma derrota do FC Porto - pode parecer paradoxal mas, convenhamos... é um grande que vence na maior parte das vezes. Só depois vemos a sensacional vitória do Sp.Braga. Tudo lhes correu às mil maravilhas. Os arsenalistas fizeram um jogo de mão cheia, sempre muito consistentes e concentrados, e têm um enorme mérito por isso. Demérito de quem perdeu, claro que sim, mas para isso muito contribuiu a prestação do adversário. Domingos, com a paciência necessária, está a construir uma equipa com vistas largas para o futuro. Candidato ao título? Calma, um passo de cada vez!...

1 Comentário:

Anónimo disse...

Porque não concordamos com a opção da RTP em retirar o épico Domingo Desportivo da grelha de programação.

Assinem e divulguem a petição para o seu regresso.
http://www.peticaopublica.com/PeticaoVer.aspx?pi=P2009N374

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO