sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Comentário: Sortes esperadas na Liga Europa

Disputou-se ontem a primeira jornada da nova Liga Europa e, tal como era expectável, houve sortes diferentes para as equipas portuguesas em prova. Benfica e Sporting, teoricamente as formações com maior potencial dos seus respectivos agrupamentos, venceram, enquanto o Nacional da Madeira, embora se tenha batido bem, foi derrotado pelo poderoso Werder Bremen. Os encarnados partilham a liderança do Grupo I com o Everton (4-0 ao AEK), os leões são líderes do Grupo D - fruto do empate entre Hertha e Ventspils - ao passo que, no Grupo L, onde está o Nacional, o Bilbao (vitória sobre o Áustria de Viena por 3-0) e o Bremen lideram.

O Sporting foi a primeira formação nacional a entrar em campo. Regressou à Holanda, onde havia defrontado o Twente, na eliminatória de acesso ao playoff da Liga dos Campeões, para jogar frente ao Heerenveen - equipa que, apesar do mau arranque desta temporada, terminou a anterior na quinta posição tendo, por isso, lugar na segunda competição europeia de clubes. Assumidamente favoritos, os leões não se livraram, porém, de alguns sustos. Venceram, é certo, tiveram sempre maior ascendente sobre a baliza contrária e coleccionaram oportunidades de golo mas foi preciso um Liedson repleto de inspiração e golos para fazer um hat-trick e resolver um jogo que não precisava de tanto sofrimento - o Herenveen adiantou-se aos 12', por Sibon, e empatou, num livre directo de Dingsdang, aos 77'.

Na Luz, o Benfica recebeu o BATE Borisov que, mesmo sendo campeão e demonstrando algum poderio na Bielorrússia, se trata de uma equipa frágil. Por isso mesmo, Jorge Jesus decidiu fazer algumas mudanças e entregar a titularidade da baliza a Júlio César (Quim ficou fora dos convocados), dar uma chance a Nuno Gomes (Saviola foi suplente) e promover a estreia do jovem brasileiro Filipe Menezes, o último reforço a chegar a Lisboa, no lugar de Aimar. Sem ter alcançado o caudal ofensivo de jogos recentes nem a espectacularidade exibicional, o Benfica conseguiu construir uma vitória confortável. Marcaram Nuno Gomes e Cardozo, a dupla atacante inicial. Um jogo que serviu, ainda, para Jesus fazer a tal gestão do plantel pois a formação bielorussa apenas nos últimos dez/quinze criou algum perigo para a baliza de Júlio César.

À mesma hora, o Nacional - e importa reforçar que a equipa de Manuel Machado já conseguiu uma grande proe
za ao afastar o Zenit, algo que lhe permitiu chegar a esta fase - foi derrotado, em casa, pelo Werder Bremen. A maior capacidade dos alemães deu-lhes uma vitória justa mas nem por isso fácil. Acaba, também, por ficar um sabor ainda mais amargo para os madeirenses porque conseguiram, graças a tentos de Felipe Lopes e Halliche, anular a vantagem de dois golos que o Bremen possuía. O mais difícil estava feito, então. No entanto, já dentro dos últimos cinco minutos, Claudio Pizarro marcou o golo da vitória da sua equipa e gelou os portugueses. Nota positiva para o Nacional, de qualquer das formas.

NOTA: Devido a problemas informáticos, o comentário à primeira jornada da Liga Europa apenas pôde ser colocado hoje.

1 Comentário:

Admin disse...

Grande análise Ricardo venham mais.

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO