domingo, 31 de agosto de 2008

Segurança? Qual segurança?

Como é que aquele adepto do Benfica, que mais parecia um mafarrico, salta da bancada e entra no terreno de jogo, para apertar o pescoço ao árbitro assistente José Ramalho sem que ninguém o tenha visto? Pois, boa pergunta. Não havia por ali um steward ou um polícia para o impedir? Pelos vistos parece que não. Se calhar estavam a jogar às cartas. Lamentável!

O Benfica agora é que paga. Sim, porque da multa já não se livra. E não deve ser pequena.


sábado, 30 de agosto de 2008

Benfica-FC Porto: Não deu para mais...


Katsouranis. Vamos começar por aqui. O defesa grego do Benfica esteve nos dois momentos cruciais do jogo. Primeiro agarrou, sem bola, Lucho dentro da àrea. Penalty que El Comandante não desperdiçou e colocou o FC Porto em vantagem pouco depois dos dez minutos de jogo. Um erro enorme de Katso. Depois, já na segunda parte, teve uma entrada a varrer sobre Rodríguez, quando já tinha amarelo. Viu o segundo e deixou a equipa com menos um. Quando o golo do empate tinha surgido a apenas dois minutos.

Jesualdo Ferreira inovou. Ao contrário do que era esperado, não colocou Hulk de início e modificou a táctica para um 4x4x2, em losango, que por vezes se desdobrava num 4x1x4x1. Fernando jogou como médio-defensivo, libertando Raul Meireles para o lado de Lucho González e Tomás Costa foi o elemento mais adiantado deste novo meio-campo. Quique Flores apostou em Reyes e Di María e enviou Urreta para a bancada - alguém percebeu esta? - fazendo com que Aimar continuasse no apoio a Cardozo. Com estas alterações, o FC Porto teve mais elementos no meio e conseguiu neutralizar Carlos Martins, uma das peças-chave deste Benfica.

Aos 11 minutos surgiu o golo do FC Porto. Primeiro tiro, primeiro melro. Lucho sofreu um penalty e encarregou-se de o converter. O jogo alterou-se, principalmente para o Benfica, que a partir deste momento teve que correr atrás do prejuízo. Seis minutos depois esteve mesmo perto de empatar, não fosse Lisandro cortar a bola mesmo em cima da linha. Um daqueles cortes que valem pontos. A resposta não se fez esperar. Rodríguez, imune aos assobios, arrancou pela esquerda, entrou na área e obrigou Quim a duas grandes defesas. O jogo estava bom, com ritmo. Muito discutido de parte a parte, bem disputado, mas muito quezilento. Perto do intervalo, o FC Porto voltou à carga. Lucho fez um passe soberbo para Lisandro, que rematou ao ferro da baliza de Quim. Podia ter sido o xeque-mate. Não foi e na jogada seguinte, Cardozo antecipando-se aos centrais portistas cabeceou por cima da baliza de Helton.

LISANDRO FALHA, CARDOZO NÃO

A segunda parte abriu com uma oportunidade flagrante para o FC Porto acabar com o jogo. Guarín, que entrou ao intervalo para o lugar de Tomás Costa, arrancou em direcção à baliza de Quim e ofereceu o golo a Lisandro, que rematou para a bancada. O argentino não costuma falhar assim, só com o guarda-redes à frente. Lisandro desperdiçou e foi a vez de Cardozo aparecer. Após um canto de Carlos Martins, Helton deu uma casa e o Tacuara empatou o clássico. Este golo poderia ser o alarme para o Benfica ir para cima do FC Porto. Foi então que Katsouranis foi novamente protagonista, quando se esqueceu da bola e foi direitinho às pernas de Rodríguez. Cartão vermelho na mão de Jorge Sousa e os encarnados reduzidos a dez. O jogo praticamente acabou aqui. Quique Flores tirou Cardozo e colocou Ruben Amorim para equilibrar a balança e o Benfica fechou-se no seu meio-campo, tentando apostar no contra-ataque, mas já faltavam pernas. Jesualdo fez o que lhe competia, arriscou. Colocou Hulk em troca com Fernando e mais tarde lançou Candeias em substituição de Raul Meireles. Os encarnados entregaram o jogo, mas o FC Porto não soube aproveitar a superioridade numérica, tentando muitas vezes resolvê-lo através de jogadas individuais. Ao Benfica valeu Quim nos últimos vinte minutos. Aos portistas, este empate soube a pouco.

DESTAQUES:

JORGE SOUSA: Impecável. Um erro aqui ou ali, mas que não mancham a exibição. O jogo não foi fácil, é verdade, mas Jorge Sousa esteve em grande. Ah, e foi muito bem auxiliado.

QUIQUE FLORES: Qual é a explicação para tantos problemas físicos? Aimar e Léo saíram por lesão. Reyes, Carlos Martins e Yebda chegaram ao fim em enormes dificuldades. Não se compreende. Até porque esta é só a segunda jornada.

JESUALDO FERREIRA: Gosta de inovar neste tipo de jogos. E a verdade é que, na Luz, a equipa esteve bem, não deixando o Benfica sair a jogar e criando várias oportunidades para ganhar. E desta vez arriscou e nunca se conformou com o empate.

MELHOR EM CAMPO: Quim. Foi enorme. Exibição perfeita.

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Sorteio da Taça UEFA: complicado, muito complicado



Em contraste com o sorteio da Liga dos Campeões que deixou boas perspectivas para as equipas portuguesas, o sorteio da Taça UEFA foi pior. Bem pior.
O Vitória de Guimarães vindo da 3ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões começa em Inglaterra, com o Portsmouth, equipa onde jogou Pedro Mendes até há bem pouco tempo; o Marítimo recebe os espanhóis do Valencia, equipa dos portugueses Miguel, Manuel Fernandes e Hugo Viana e é talvez a equipa portuguesa com tarefa mais complicada; Benfica joga com o Nápoles em Itália, uma equipa que está perfeitamente ao alcance; Vitória de Setúbal repete o jogo de há dois anos com o Heerenveen e por fim o Sp.Braga recebe os eslovacos do Artmedia. Sim, esses que ficaram conhecidos quando nos tempos de Adriaanse ganharam 3-2 no Dragão.

Em futebol tudo é possível. Por isso...

Suazo é reforço do Benfica

Mais um reforço para Quique. Outra prenda de Rui Costa. David Suazo, avançado de 28 anos, chega por empréstimo do Inter. E os italianos ficam com direito de preferência sobre... Di María. Suazo é um homem de área mas que nos nerazzurri de Mourinho não tinha lugar.

Confesso que fiquei surpreso com esta contratação. Não estava à espera. Mas Rui Costa não brinca em serviço.


Ronaldo x2

Cristiano Ronaldo foi eleito o melhor jogador da Liga dos Campeões 2007-08. Havia alguma dúvida? Não, acho que não. Ah, mas também foi o melhor avançado. E melhor marcador da prova. O que para um extremo não é nada mau. Drogba, Torres e Rooney ficaram pelo caminho.

Agora só falta ser o melhor do Mundo. Para a FIFA, bem entendido.

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Sorteio da Champions

Não foi mau. O sorteio da Liga dos Campeões ditou grupos acessíveis, tanto ao FC Porto como ao Sporting. Os portistas têm pela frente o Arsenal, Fenerbahçe e Dínamo de Kiev. Equipas teoricamente mais fracas mas estádios com ambientes infernais. Arsenal à parte, claro está. Já o Sporting joga com Barcelona, Basileia e Shakhtar Donetsk. Podia ter sido bem pior. Agora é pôr a teoria em prática.

O sorteio completo:




Acabou o sonho do Vitória

Acabou o sonho. O Vitória de Guimarães não conseguiu chegar à fase de grupos da Liga dos Campeões. Mas tem razões de queixa. Em ambos os jogos da eliminatória.

O intenso ambiente do St. Jakob Park atarantou a equipa de Manuel Cajuda que nos primeiros quinze minutos somou erros atrás de erros. O pior aos 11 minutos, quando Flávio Meireles se esqueceu de subir e deixou Stocker em jogo, livre para marcar. Assim foi. Quatro minutos depois, surgiu uma grande penalidade. Bendita grande penalidade que Fajardo converteu e pôs o Vitória em vantagem na eliminatória. Assim se chegou ao intervalo.

A segunda parte começou quase como a primeira, com muitos erros. Numa boa jogada de Stocker, Derdyiok voltou a pôr o Basileia em vantagem. Manuel Cajuda arriscou o que tinha para arriscar, mas a equipa estava demasiado presa. A perder por 2-1, o Vitória nunca mostrou grandes argumentos que pudessem valer a passagem na eliminatória. Até ao minuto 80 em que a equipa acordou. Tornou-se mais pressionante, mais solta, mais guerreira. Foi então que surgiu o golo de Roberto. O golo que poderia fazer História. Mas não. O árbitro assistente anulou por fora-de-jogo. Inexistente. Que crueldade!

Acabou o sonho do Vitória. Foi pena ter sido assim.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

David Blanco ganha a Volta a Portugal

Está confirmado… David Blanco (Palmeiras Resort / Tavira) é o primeiro estrangeiro a vencer por duas vezes a Volta a Portugal. Hector Guerra foi o mais rápido no contra-relógio final de 31,2 km entre Penafiel e Felgueiras, mas não conseguiu anular a desvantagem que trazia para a última etapa. Os 54 segundos de diferença entre os dois primeiros classificados foram suficientes para Blanco manter a camisola amarela que tinha conquistado na etapa anterior na Senhora da Graça.

Depois de ganhar a Volta a primeira vez, em 2006, pela Comunidad Valenciana, num contra-relógio, David Blanco deu a primeira vitória ao Tavira. Em 29 anos de história, a equipa mais antiga do pelotão internacional profissional, nunca tinha ganho a prova rainha do ciclismo português.

Hector Guerra (Liberty) repetiu a vitória do ano passado no contra-relógio final mas só conseguiu roubar 28 segundos ao galego do Tavira e ficou na segunda posição da geral. O último lugar do pódio pertenceu a Ruben Plaza (Benfica) a 3 minutos e 59 segundos do vencedor. O português melhor classificado foi Rui Sousa (Liberty Seguros) na sétima posição a 6 minutos e 34 segundos. A Liberty foi a formação que mais trabalhou para contrariar o favoritismo de Blanco e foi premiada com o triunfo na geral por equipas.

Para além do vencedor da Volta, no último dia também faltava definir o triunfo no prémio da juventude. O quinto lugar de Tiago Machado (Madeinox/Boavista) no crono permitiu-lhe conquistar a camisola laranja e entrar nos dez melhores, meta a que se tinha proposta nesta competição. A camisola verde da montanha e a branca dos pontos já tinham sido atribuídas a Rui Sousa (Liberty Seguros) e a Francisco Pacheco (Barbot/Siper) respectivamente.

Esta Volta e este último dia em concreto, também foi marcado pelas últimas pedaladas de José Azevedo (Benfica), corredor que no passado teve um papel importante no auxílio a Lance Armstrong em cinco das sete conquistas na Volta a França. Em 2004, Azevedo foi quinto no Tour e durante a carreira de 15 anos, vestiu as cores do Boavista, Maia, ONCE, US Postal e posteriormente a Discovery Channel, regressando recentemente a Portugal para representar o Benfica.

in http://volta-portugal.com/

FC Porto e Sporting ganham, Benfica marca passo

Ponto prévio: o Benfica começou pior que a concorrência. Como nos quatro anos anteriores. Em Vila do Conde, os encarnados tiveram imensas dificuldades. Sobretudo depois da saída de Carlos Martins por lesão. O Rio Ave tinha a aula bem estudada e conseguiu, em alguns momentos, ser superior à equipa de Quique Flores que ainda não pôde contar com Reyes. Os calafrios na defesa voltaram mas valeu Quim que esteve em grande. Mas como não é o super-homem, aos 55 minutos, Semedo marcou para o Rio Ave num lance algo confuso. Empatou no minuto seguinte Nuno Gomes, após cruzamento de Urreta e desvio incompleto do guarda-redes Paiva. Até final pouco mais se viu.Primeiro tropeção do Benfica.

Minutos antes do Benfica entrar em campo, o FC Porto recebeu o Belenenses. Num jogo que teve direito a entrega do troféu de campeão da época passada – com uma vaia enorme para Madaíl – aos portistas bastou jogar q.b. para ganhar sem grandes sobressaltos. É certo que não foi deslumbrante mas o jogo teve apenas um sentido: a baliza de Júlio César. Assim e para acentuar o domínio, surgiu o golo perto dos primeiros quinze minutos. Um golo com sorte. Tomás Costa abriu bem para Lisandro que obrigou o guarda-redes do Belenenses a uma defesa incompleta que Mariano González, quase sem querer, aproveitou da melhor maneira. Depois disso, o FC Porto teve mais oportunidades para aumentar a vantagem já que o novo Belenenses de Casemiro Mior não fez cócegas e limitou-se a defender. O melhor, esse, estava reservado para o fim. Hulk fez um golo soberbo. O melhor da jornada. Estava acabado o jogo. O FC Porto completou mil dias na liderança da melhor maneira.

No dia anterior aos jogos de Benfica e FC Porto foi a vez do Sporting se estrear na nova Liga Sagres. E melhor era impossível. Frente ao Trofense, que andou a apanhar bonés quase toda a primeira parte, a equipa de Paulo Bento à meia-hora de jogo já ganhava por 3-0. Golos de Tonel, Izmailov e Yannick Djálo. E que golo o de Yannick. De calcanhar, com enorme categoria. Toni, treinador do Trofense decidiu então arriscar, tirando o lateral Areias – que auto-estrada – e colocou Zé Carlos para o ataque. Com esta alteração passou a jogar com apenas três defesas e com mais gente na frente o que não deixou que o Sporting fosse tão letal. De qualquer forma, tudo parecia encaminhado para uma vitória facílima dos leões. Mas não foi bem assim. Paulo Baptista, induzido em erro pelo seu assistente assinalou um penalty a favor do Trofense quando a falta foi cometida quase dois metros fora da área. Tremendo erro. Do lance resultou a expulsão de Polga. Mal no penalty, bem na expulsão. Pinheiro não desperdiçou e reduziu a desvantagem. A partir deste momento, o Trofense subiu e pôs em sentido a equipa do Sporting. Mas o resultado há muito que estava feito.

Nesta primeira jornada, os destaques não se ficam por aqui. No jogo que abriu a Liga Sagres 2008-09, os dois Vitórias repetiram o empate da época passada. Marcou primeiro o de Guimarães por Douglas, empatou depois o de Setúbal. O Nacional, quem sabe a lançar a candidatura à Europa, venceu o Leixões no Estádio do Mar, muito por culpa de Bruno Amaro autor de dois golos fantásticos. Estrela da Amadora derrotou a Académica, justamente, num jogo fraco que marcou a estreia de Lito Vidigal como treinador dos amadorenses. Também a Naval, sem ser convincente mas sim eficiente bateu o europeu Marítimo com um golo de Marinho aos três minutos.

Para a semana há mais… E um Benfica - FC Porto!

sábado, 23 de agosto de 2008

Di María decide em Pequim

Dí María resolve. Até podia ser só um novo slogan parecido com o de Liedson, mas não. É mesmo verdade. O jogador do Benfica marcou o único golo - e que golo - da vitória da Argentina sobre a Nigéria. O golo que deu o ouro à equipa de Basile. Angelito está em grande! E o Benfica também ganha em Pequim.



quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Nélson Évora de ouro


Nélson Évora é o novo campeão olímpico de triplo salto. 17,67 metros que valem a Portugal a quarta medalha de ouro nos Jogos Olímpicos. Depois de Carlos Lopes em 1984, Rosa Mota em 1988 e Fernanda Ribeiro em 1996, todos eles em provas de atletismo.

E, de um momento para o outro, estes foram os melhores Jogos Olímpicos de sempre para Portugal. Apesar de só ter ganho duas medalhas. Isto, porque Portugal nunca tinha conseguido juntar o ouro à prata. Mas conseguiu-o agora em Pequim, por Vanessa Fernandes e Nélson Évora.


O desempenho de Évora foi simplesmente fantástico. Sim, porque além de ganhar também bateu o seu melhor desempenho em 2008 por duas vezes. E diz que ainda podia fazer mais. Um campeão!

terça-feira, 19 de agosto de 2008

És grande Vanessa!


Vanessa Fernandes conseguiu a primeira medalha para Portugal. A medalha de prata. Em Pequim, a triatleta terminou entre duas australianas: a vencedora Emma Snowsil e Moffat que ficou pelo bronze - da medalha, claro está.

Vanessa Fernandes quebrou na última parte, na corrida. Chegou mesmo a perder o segundo lugar, mas depois fez uma recuperação incrível e acabou por conseguir chegar em segundo a 1,06 da vencedora: "O pódio era possível, mas algo me dizia que o ouro não ia ser para mim ainda este ano. Era cedo para conseguir isso. Já o segundo lugar, com a idade que tenho, e comparar-me com ela (Emma Snowsill), já foi muito bom. E a sensação que tive também. Foi tudo bastante positivo.", disse a atleta portuguesa.

Mas não terá sabido a pouco a quem está habituado a ganhar tudo? Não. Para Vanessa não. "Esta prata é como ouro. Significa muito para mim, pois Portugal é um país pequeno e não tem as condições da Austrália, a grande potência da modalidade. Somos um pequeno país que ainda agora entrou no triatlo. Começámos a aprender um pouco tarde sobre esta modalidade, mas é bom para Portugal e a Europa meter alguém no pódio olímpico. Significa muito para mim.", concluiu.

Finalmente, Portugal ganha uma medalha. Obrigado, Vanessa!

sábado, 16 de agosto de 2008

Supertaça: Patrício defende, Yannick marca e o Sporting ganha


Patrício & Yannick. Está aí a dupla perfeita: um defende o que lhe aparece pela frente e o outro aproveita as oportunidades para marcar. Por causa deles, foi mais uma Supertaça para Alvalade. O Sporting voltou a vencer uma final ao FC Porto. Depois da Supertaça do ano passado e da Taça de Portugal em Maio. Justamente! Mas ambas as equipas têm ainda muito que trabalhar. Principalmente os portistas.

Não contando com Quaresma que ainda não sabe se vai ou não para Milão e Mariano González com uma gastroentrite, Jesualdo teve de improvisar. Assim, deslocou Lisandro para uma ala e colocou Farías como ponta-de-lança. Resultado: Farías jogou au relanti e nunca criou perigo e Lisandro andou perdido entre os defesas do Sporting. Enquanto isso, Paulo Bento apostou no típico losango com Moutinho mais recuado, Rochemback e Izmailov nas alas e Romagnoli como médio ofensivo. Izmailov, o herói da Supertaça do ano passado fez a vida num Inferno à defesa do FC Porto que dava uma abébia atrás da outra.

O FC Porto até entrou bem no jogo,muito graças à velocidade de Rodríguez que pôs a defesa leonina em sentido mas foi Rochemback (e o seu pontapé-canhão) quem criou perigo primeiro, num remate que deu a sensação de golo. Mais tarde respondeu Lucho com um pontapé fortíssimo de fora da área que levou a bola a embater no poste esquerdo da baliza de Rui Patrício. Por esta altura, o jogo estava vivo, rápido mas com muitos passes errados e com algum nervosismo de parte a parte. Quando toda a gente esperava o intervalo, surgiu o golo. Yannick Djaló ,depois de um cruzamento de Romagnoli e beneficiando de um ressalto de bola em Benítez, que apanhou a defesa portista em contra-pé fez o primeiro golo do jogo. Primeira explosão de alegria no Estádio do Algarve. Começava a festa verde.

AS BARRACADAS DOS CENTRAIS

A segunda parte começou como tinha acabado, com o Sporting ao ataque. Bruno Alves "deu uma casa", deixou a bola bater no relvado e quase permitiu que Yannick bisasse. Valeu Helton, ainda que de forma um pouco atabalhoada. Alguns minutos depois, foi a vez de Lisandro López aparecer. O avançado argentino, após grande passe de Lucho, rematou bem mas Patrício respondeu com uma grande defesa. Foi pouco depois que Jesualdo decidiu então trocar Farías, que nada fez, por Hulk.

O maior problema estava, contudo, na defesa que continuava a dar prendas. Sapunaru atrapalhou-se com Pedro Emanuel dentro da área e ofereceu a bola de bandeja a Yannick Djaló. O jogador do Sporting agradeceu e marcou o segundo. Com tanta tremideira não há equipa que resista. O FC Porto não conseguia criar grandes jogadas de perigo e foi a vez de Raul Meireles, com um remate do meio da rua, obrigar Rui Patrício a uma defesa enorme.

Paulo Bento colocou Veloso no lugar de Romagnoli e o Sporting ganhou solidez defensiva. Respondeu Jesualdo colocando Candeias em detrimento de Guarín - andou desnorteado atrás de Rochemback - e mudando a equipa para 4x4x2. Hulk, ao contrário de Farías, rematou muito e criou bem mais perigo do que o Tecla, mas a bola parecia não querer nada com os dragões. Foi então que aos 71 minutos, Carlos Xistra marcou (e bem!) após indicação do auxiliar uma grande penalidade, por mão de Caneira. Era a oportunidade para o FC Porto relançar o jogo. Mas não. Lucho rematou e Patrício voltou a ser melhor. Agora sim, estava acabado. Ah, o árbitro. Grande arbitragem de Carlos Xistra.

E o Sporting de Paulo Bento voltou a ganhar ao FC Porto de Jesualdo. Parece sina. Mas uma coisa é certa: este FC Porto não é equipa de jogos a eliminar. Mas sim equipa de provas de regularidade, como o campeonato. Mas isso é outra conversa.

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

Comentadores desportivos ou nem por isso

Alguém sabe quem era o comentador da SIC, juntamente com José Augusto Marques, no jogo da Eusébio Cup? Eu respondo: Bagão Félix. Esse mesmo. Aquele que já foi ministro das Finanças.
E agora faço eu outra pergunta: Bagão Félix é especialista em futebol ou, ao menos, comentador desportivo? Não, nem por sombras. Mas é benfiquista, por isso pode comentar jogos do Benfica. Isto não é imparcialidade. Muito menos jornalismo.

Ricardo de fora da Selecção!

Estava visto. Ricardo não foi convocado por Carlos Queiroz para o amigável com as Ilhas Faroé. Alguma surpresa? Não. Era lógico. A baliza de Portugal há muito que precisa de mudar de dono.

quarta-feira, 13 de agosto de 2008

O castelo aguenta-se!

O assalto ao castelo suiço ficou a meio caminho. O Vitória de Guimarães empatou 0-0 com o Basileia em jogo da terceira pré-eliminatória da Champions. Está, por isso, tudo em aberto para o jogo da Suiça. Onde o Basileia leva vantagem.

Não vi o jogo, confesso, mas por aquilo que li parece que não foi nada de extraordinário. O Vitória não esteve especialmente inspirado e chegou até a parecer um pouco desnorteado mas deixou indicações que pode chegar à fase de grupos da Liga dos Campeões. Mas isso só o jogo em Basileia poderá dizer. Mesmo assim, os vimaranenses ficam com queixas da arbitragem, pois ficaram duas grandes penalidades por marcar.

PS: Christian Gross, treinador do Basileia, sobre as grandes penalidades reclamadas pelo Vitória: "Não vi os lances, mas se foi com a mão, sinto que tive sorte. Acham que foi? Pronto, se vocês dizem, acredito. Tive sorte, portanto." Fossem todos assim. Gostei!

terça-feira, 12 de agosto de 2008

Boavista ainda impedido de inscrever jogadores

Afinal o Boavista ainda está impedido de inscrever jogadores.
O Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e ao Investimento (IAPMEI) notificou os axadrezados de que o Plano Extrajudicial de Conciliação (PEC) que tinha permitido o levantamento das inibições da Liga foi rejeitado pelos principais credores, Finanças e Segurança Social. Assim, o Estádio do Bessa ainda está penhorado e o Boavista não pode inscrever ninguém apesar de já o ter feito na véspera.

Vem aí conversa para uma semana. Ou duas, não sei.

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Boavista vai jogar a Liga Vitalis

O Boavista conseguiu cumprir os prazos propostos para inscrever jogadores e poderá jogar na Liga Vitalis em 2008-09.

Depois de saldadas as dívidas a ex-jogadores e com a ajuda do IAPMEI que serviu como um autêntico abono de família para levantar os impedimentos junto da Liga, os axadrezados conseguiram inscrever hoje (data limite para o fazer) 19 jogadores. A equipa de Álvaro Braga Júnior tinha que inscrever no mínimo doze jogadores, sendo que oito tinham que ser formados localmente. Se não o fizesse, o Boavista seria excluído das competições profissionais, sendo substituído pelo Penafiel.

O Boavista vai jogar na Liga Vitalis. Ao menos isso. Agradeçam a Álvaro Braga Jr.

domingo, 10 de agosto de 2008

Jogos amigáveis? Nem de perto nem de longe

Ontem, depois do Benfica - Feyenoord aproveitei para ver o jogo do Sporting com os italianos da Sampdoria. Era um jogo "amigável" mas parecia uma batalha campal. Não percebo muito bem isto dos jogos "amigáveis", porque é nestes jogos que acontecem mais este tipo de conflitos.

Ontem houve muitos. Até houve uma expulsão e podiam ter havido - muitas - mais se Pedro Proença não tivesse sido simpático. Tanto para um lado como para o outro. É certo que os italianos só davam "fruta", mas as confusões começavam quase sempre em Derlei. O que até levou o árbitro a ir falar com Paulo Bento. E não me venham com aquela que Derlei é um jogador instintivo.

O Benfica de Quique está aí

Apareceu finalmente o Benfica que Quique Flores tanto procura. Ofensivo, dinâmico e rápido. No jogo de apresentção aos sócios frente ao Feyenoord. Numa equipa ainda em construção, foram os reforços que estiveram em maior evidência. Yebda, Carlos Martins, Ruben Amorim, Urreta e Aimar foram titulares. Ah, e Reyes estreou-se em grande!

Da época passada, apenas a defesa é (quase) a mesma. Quim titularíssimo na baliza, Maxi na direita, Léo na esquerda e Luisão e Katsouranis no centro.
Forte, pressionante e coesa. Nem parecem os mesmos.

Mais à frente, Yebda tem pinta e parece encaixar bem na posição 6 que era de Petit. Carlos Martins é o patrão, responsável pelo ataque e pelas desmarcações de Urreta. Depois ainda há Aimar e, claro, Cardozo. O homem golo. Foi do pé esquerdo do Tacuara que nasceram os primeiros lances de perigo. Primeiro com um remate à meia volta que levou a bola a embater no poste; depois com um remate em arco que obrigou Timmer a uma grande defesa. De tanto que insistiu, Cardozo acabou mesmo por marcar. Aos 69 minutos, após jogada de Léo e passe de Aimar.
Depois houve ainda tempo para quase todos jogarem - menos Mantorras e os dois guarda-redes Moreira e Moretto - e para a estreia de Jose Antonio Reyes. E da primeira vez que tocou na bola, o internacional espanhol rematou ao poste. Isto promete.

sábado, 9 de agosto de 2008

"As crónicas do BB" a partir de Setembro


Já a partir de Setembro (dia 3), Bernardino Barros, comentador desportivo da RR e editor de desporto do PortoCanal terá um espaço de opinião no FUTEBOLÊS sobre a Liga Sagres, "As crónicas do BB".

Na primeira quarta-feira de cada mês, Bernardino Barros escreve no FUTEBOLÊS.

A NÃO PERDER!

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Reyes é do Benfica

Jose Antonio Reyes é jogador do Benfica. Sim, aquele que jogou no Arsenal. Sim, aquele que deu o título ao Real de Capello no último jogo. O Benfica pagou 2,65 milhões € por 25% do passe do internacional espanhol que chega por empréstimo do Atlético de Madrid, com opção de compra.

Reyes é um extremo-esquerdo, mas pode jogar em qualquer posição atacante. Até a ponta-de-lança. Jogador rápido, tecnicista e com um remate forte. Grande contratação. Pelo menos teoricamente.

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Ronaldo fica em Manchester

Está decidido: Cristiano Ronaldo continua no Manchester United, depois de tanto imbróglio sobre a saída ou não para Madrid.

"Posso confirmar que, na próxima época, irei jogar no Manchester", diz o extremo, em entrevista ao "Público". E como fica o Real Madrid no meio desta história? Ronaldo faz um
mea-culpa por causa da polémica que se arrastou durante meses: "Quero assumir que fui eu o grande responsável por toda esta polémica. Eles não tiveram culpa porque fui eu que manifestei publicamente a vontade de ir para o Real Madrid." Mesmo assim, Ronaldo assume que tem o sonho de jogar no Real: "A minha vontade foi, durante algum tempo, que o Manchester tivesse aceite transferir-me para Madrid. Dizer o contrário seria estar a enganar as pessoas e a minha própria consciência."

Ronaldo fica em Manchester. Ponto final.

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

Gil Vicente acusado de corrupção

A Comissão Disciplinar da Liga castigou o Gil Vicente com a perda de três pontos (na classificação da época passada) e pena de derrota no jogo com o Olhanense por "corrupção de jogadores". Além disso, os gilistas terão de pagar uma multa de 17.500€.

Também o vice-presidente do Gil Vicente, Afonso Ferreira, foi punido com dois anos de suspensão e multa de cinco mil euros. Isto tudo, por causa de um jogo da 29ª jornada da Liga Vitalis da época passada, em Olhão. No final desse jogo que terminou empatado a dois golos e que arrumou definitivamente com as esperanças de subida do Gil Vicente, Isidoro Sousa, presidente do Olhanense queixou-se de uma tentativa de aliciamento, por parte do vice-presidente do Gil aos jogadores Marco Couto e Guga. Por isso mesmo, a CD da Liga decidiu castigar os gilistas.

Gil Vicente e Afonso Ferreira podem ainda recorrer dos castigos para o Conselho de Justiça da FPF. Conselho de Justiça? Recursos? É melhor chamar outra vez o Freitas do Amaral!

terça-feira, 5 de agosto de 2008

Apito Dourado: a infeliz visita de Augusto Duarte

O que raio vai fazer um árbitro a casa de um dirigente? Ainda por cima de um dirigente de um clube que irá arbitrar dois dias depois? Uma visita ocasional, dizem uns. Corrupção desportiva, dizem outros. Um mau dia para tomar café e falar do tempo, digo eu.

JOGO: Beira-Mar – FC Porto (0-0)

ÁRBITROS: Augusto Duarte, António Perdigão, Domingos Vilaça e Jorge Sousa (4º árbitro)

CASO: Visita de Augusto Duarte a casa de Pinto da Costa que lhe terá oferecido 2500€, de modo a que o árbitro favorecesse o FC Porto em Aveiro.

ARGUIDOS: Augusto Duarte, Pinto da Costa e António Araújo. Embora ao princípio, todos os elementos da equipa de arbitragem tenham sido constituídos arguidos.

INCIDÊNCIAS:

DOIS DIAS ANTES DO JOGO

  • Augusto Duarte, após algumas insistências de António Araújo (“tenho aqui uma obra para ser vista, amiguinho”), aceita deslocar-se de Braga, cidade onde reside, ao Porto. Estaciona o carro perto da Igreja das Antas e vai à boleia de Araújo para a Madalena, onde mora Pinto da Costa.
  • Ás 22.18h, Araújo telefona a Pinto da Costa e pede-lhe indicações sobre a sua casa; após algumas hesitações, o empresário acompanhado de Augusto Duarte chega a casa do presidente do FC Porto.
  • O encontro entre Pinto da Costa, Augusto Duarte e António Araújo durou cerca de uma hora. Passavam dois minutos da meia-noite quando o árbitro saiu em direcção a Braga.

O JOGO

  • Os 3 peritos que a PJ convocou para analisar o jogo detectaram erros a favorecer o FC Porto na primeira parte, nomeadamente um cartão vermelho que Augusto Duarte perdoou a um jogador portista.

DEPOIS DO JOGO

  • No final da partida, a equipa de arbitragem janta na Marisqueira de Matosinhos com Pinto de Sousa, presidente do Conselho de Arbitragem da FPF. O auxiliar António Perdigão confirmou que, durante o jantar, Pinto de Sousa recebeu alguns telefonemas de Pinto da Costa. Numa dessas conversas, o presidente do FC Porto disse que “o Augusto não esteve nada bem, é verdade que não esteve mal, mas não deu cheirinho nenhum. Só deixou passar uns livres e há um penalty sobre o McCarthy que o gajo não vê.”

REACÇÕES:

  • Segundo o testemunho de Carolina Salgado, na época companheira de Pinto da Costa, Araújo e Duarte estiveram na sala de estar. Carolina afirma ainda ter visto Pinto da Costa entregar um envelope branco com dinheiro ao árbitro. 2500€ mais precisamente, porque mais tarde perguntou a PC qual o montante da oferta. Mas houve contradições. Carolina afirmou depois ter visto o dinheiro.
  • Augusto Duarte confirma que esteve em casa de Pinto da Costa, mas garante que foi uma conversa de ocasião e que nada teve a ver com futebol.
  • Pinto da Costa nega ter entregue qualquer envelope com dinheiro ao árbitro e afirma que Carolina não ouviu conversa nenhuma porque estava acamada

RESULTADO:

  • O Departamento de Investigação e Acção Penal (DIAP) do Porto decidiu arquivar o caso por falta de indícios suficientes de que tivessem sido oferecidas vantagens patrimoniais ou não patrimoniais como contrapartida à falsificação da verdade desportiva.
  • Menos de um ano depois do arquivamento do caso pelo DIAP, Maria José Morgado decidiu reabrir o inquérito com base no testemunho de Carolina Salgado. Um testemunho cheio de contradições, mas que mesmo assim deu para continuar a investigação. Desta vez, apenas Pinto da Costa, Duarte e Araújo foram constituídos arguidos.

SENTENÇA: No plano desportivo o caso já está resolvido. O Conselho Disciplinar da Liga suspendeu Pinto da Costa das funções de presidente do FC Porto por dois anos e Augusto Duarte foi suspenso de todas as actividades ligadas à arbitragem durante seis anos ("Apito Final"). Quanto ao plano judicial, o caso ainda corre nos tribunais civis.

(Baseado no livro "Apito Dourado - Toda a história", do jornalista Eugénio Queirós)

Que venha o João!

Há coisas que eu não percebo. O Apito Dourado é uma delas.
Não percebo qual era a necessidade de o FC Porto entregar dinheiro a Augusto Duarte por causa de um jogo com o Beira-Mar em que os portistas jão eram quase campeões e onde José Mourinho poupou quase toda a equipa para um jogo da Champions.
Não percebo a Justiça portuguesa. Para uns casos o testemunho de Carolina Salgado é viável e verdadeiro; para outros não serve. As escutas servem para condenar alguns arguidos e ao mesmo tempo não servem para nada.

Mas o que me custa mais a perceber, por muito que tente é como é que Luís Filipe Vieira não foi constituído arguido. Aquela conversa com Valentim Loureiro em que o presidente do Benfica - já que não pode ter Paulo Paraty - diz não querer Lucílios, nem Olegários, nem Duartes porque não lhe dão garantia nenhuma. Rejeita quase todos os nomes que o major lhe sugere. Até chegar o nome de João Ferreira. "O João? Pode vir o João."

A escuta está lá. Mas parece que ninguém quis saber. Não percebo!

sábado, 2 de agosto de 2008

O fim do Boavista

O Boavista está de rastos. É triste, mas é verdade. Não tem equipamentos, quase não tem jogadores e daqui a pouco não tem treinador. Tem, isso sim dívidas. Muitas dívidas.

Depois de ter sido relegado para a Liga Vitalis por causa do Apito Dourado - ou Apito Final ou lá o que é - o Boavista falhou o jogo da Taça da Liga, na Covilhã. Os boavisteiros não increveram qualquer jogador em tempo útil. Assim, a equipa de Jaime Pacheco (até quando?) perde o jogo por 3-0, fica eliminado da prova e terá de pagar uma multa que pode ir dos 2.500 aos 10.000€. Mais dinheiro para pagar.

Este cenário só poderá ser evitado se entretanto o Tribunal Administrativo de Lisboa se pronunciar sobre a providência cautelar apresentada pelo Boavista e a declaração de interesse público da Federação Portuguesa de Futebol.

E até a participação na Liga Vitalis está em risco. Se os axadrezados não entregarem uma lista com pelo menos 12 jogadores até ao dia 11 de Agosto ficam excluídos das competições profissionais. A ajuda do IAPMEI (Instituto de Apoio a Pequenas e Médias Empresas e ao Investimento) é a única esperança.

O Boavista está a um passo da ruína. E muito deve ao seu presidente, Álvaro Braga Júnior, por ainda não estar lá. Que pena!

O dragão está aí!

FC Porto-Leixões. Outro jogo do Torneio Internacional de Braga. Outro jogo que gostei de ver. Ainda sem saber se Quaresma sai ou não.

Jesualdo Ferreira apresentou uma equipa que não deve fugir muito àquilo que será a equipa-tipo do FC Porto para 2008-09. Ainda com algumas dúvidas. Uma dessas dúvidas é nas laterais. Contra o Leixões jogou Fucile na direita e Benítez na esquerda. Mas não sei se será mesmo assim. Aposto mais em Sapunaru na direita e Fucile novamente na esquerda, tal como quando jogava Bosingwa. Mas há outra dúvida ainda maior. Quem faz de Paulo Assunção? Hoje foi Raul Meireles, jogando Freddy Guarín e Lucho mais adiantados. E, sinceramente, parece-me a melhor hipótese. Até porque Guarín tem deixado boa imagem mas é um jogador com características mais ofensivas. Por isso fica bem ao lado de Lucho, o homem da batuta. Há ainda Fernando, mas também não me parece muito fiável.
No ataque é que parece não haver grandes dúvidas. Mariano na direita, Rodríguez - hoje se não o melhor andou lá perto - e Lisandro no meio. Hulk estreou-se e apesar de "fresco" está aí para as curvas. Licha que se cuide!

Gostei da exibição. Individual e colectivamente. Mas o Leixões - à semelhança do Cagliari no jogo com o Braga - pouco fez para incomodar. Ah, já me ia esquecendo. O FC Porto ganhou 3-0.

Já se viu qualquer coisa...

Eu confesso: gosto do Sp, Braga e de Jorge Jesus. Principalmente de Jesus, porque é para mim um treinador sem comparação em Portugal. Em termos tácticos, bem-entendido.

Vi o jogo do Sp.Braga contra o Cagliari, no Torneio Internacional de Braga. E já deu para ficar com algumas (boas) impressões. É verdade que os italianos só fizeram figura de corpo presente e praticamente não fizeram cócegas mas mesmo assim gostei da equipa. Ofensiva, bem posicionada e forte defensivamente. Uma equipa muito parecida com a do Belenenses da época passada. Mudam os nomes mas o esquema é o mesmo. Gostei.

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO