sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Cobardia e opções esquisitas

Vítor Baía voltou à carga. Numa entrevista à Rádio Renascença, o director das relações externas do FC Porto criticou Scolari e disse, ainda, não saber o porquê do seu afastamento. Mas alguém sabe?

"É algo que me entristece bastante, acima de tudo a não frontalidade e a cobardia das pessoas, nomeadamente a do antigo seleccionador nacional em não assumir publicamente as razões do meu afastamento." Mas será que Vítor Baía acredita que Scolari um dia lhe explicará, pessoalmente, os motivos do seu afastamento? A resposta foi clara: "Não, não acredito que tenha coragem porque nunca a teve e agora foi o Carlos Freitas através de um livro que veio falar da minha ausência da Selecção, com motivos que a mim me soam a ridículos. Acaba por ser a voz do próprio Scolari, mas cobardemente, porque não teve coragem de o dizer pessoalmente", disse o ex-guarda-redes do FC Porto.

O tal livro de que Vítor Baía fala é Luiz Felipe, o homem por trás de Scolari, da autoria do jornalista José Carlos Freitas, publicado logo depois do Euro 2008. Nesse mesmo livro, são apontados dois motivos para a não convocatória do então guarda-redes do FC Porto: um deles é o facto de alguns jogadores da Selecção se terem queixado; o outro é que caso Scolari convocasse Baía estaria a ceder às pressões do FC Porto e de José Mourinho.

SCOLARI: "FOI OPÇÃO TÉCNICA"

Confrontado com as críticas de Vítor Baía, Scolari reagiu, dizendo que foi apenas opção técnica. "As escolhas que fiz na época e as que faço agora são de acordo com as minhas convicções. Já falei 120 vezes a mesma coisa, que foi por opção técnica", disse o agora treinador do Chelsea, sem querer falar mais do assunto.

Pronto, está explicado. O melhor guarda-redes da Europa não foi convocado por "opção técnica". Continuamos na mesma.

Seja o primeiro a comentar

FUTEBOLÊS © 2008 Template by Dicas Blogger.

TOPO